Os novos desafios do gestor público PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Ter, 18 de Junho de 2013 20:56
max
Max Bianchi Godoy
Coordenador do curso em Master of Public Administration e dos cursos de Extensão Universitária do Ibmec Brasília. Tem mestrado em Administração (Gestão Empresarial), MBA Executivo em Negócios Financeiros e especialização em Gestão Estratégica. Atua na Diretoria de Estratégia e Organização do Banco do Brasil

 

Os novos desafios do gestor público

A gestão pública encontra-se trilhando um caminho sem volta, onde é cada vez maior a busca pela eficiência e por resultados, o que tem levado os gestores públicos a se capacitarem para melhor enfrentar os desafios cotidianos. O chamado princípio da eficiência da administração pública, embora constasse da legislação infraconstitucional, apenas foi inserido no texto constitucional mediante a ementa n. 19/98.
Segundo Custódio Filho (1999), o conceito constitucional de eficiência pode ser traduzido em sua forma plena a partir dos aspetos afetos à agilidade, utilidade e economicidade, sendo que esta última diz respeito à busca de formas menos onerosas possíveis de trabalho, proporcionando respeito e proteção ao erário público.
A busca pela eficiência, cada vez mais, tem pautado as atuações da administração pública, indo desde os processos de contratação de agentes públicos até a cotidiana prestação de serviços. Esta aludida eficiência está pautada pela atuação gerencial calcada em princípios de racionalidade e moralidade, a partir de aspectos científicos, práticas e dos bons modelos administrativos atuais. Segundo Figueiredo (2000), toda forma de administração deveria agir de maneira eficaz, sendo tal aspecto esperado de qualquer pessoa na posição de administrador, em qualquer nível gerencial.
O que se observa na prática é que, muitas vezes, os gestores assumem cargos administrativos sem a real consciência de todos os aspectos que estes envolvem, sobretudo quanto a sua tarefa de auxiliar a viabilizar programas e políticas governamentais, por meio de seus atos. Os órgãos públicos estão à busca de profissionais adequados a exercer a gestão pública, o que se observa nos editais de concursos, que têm buscado profissionais com conhecimentos cada vez mais específicos, de forma a preencher as eventuais vagas com pessoas capacitadas e cada vez mais prontas para o exercício da gestão pública.
Porém, com tantas especificidades do setor público, os profissionais, ao se formarem nos cursos atualmente oferecidos, em geral, têm sentido carência de aprofundamento em alguns temas. Além disso, por vezes, comentam que os professores desses cursos deveriam ter maior vivência profissional na esfera pública, proporcionando a utilização adequada de estudos de casos, exercícios e exemplos que fossem mais voltados para realidade do setor público.
Vivências
Tais aspectos têm levado alguns cursos em todo mundo a esforçarem-se em suprir tais lacunas em seus currículos, levando universidades em todo o mundo, tais como a de Georgetown (nos Estados Unidos) e algumas outras naquele e em outros países, a criarem cursos de pós-graduação que estejam mais focados na esfera pública, como é o caso dos MPA Master of Public Administration. A proposta dos MPA está em levar a vivência do gestor público para as salas de aula, buscando preparar os atuais e futuros gestores para enfrentar adequadamente os reais desafios da gestão pública, preparando-os a partir de metodologias de ensino que contenham boa dose prática e, para tanto, apresentem exemplos reais e professores com atuação no setor público.
Além disso, estes cursos buscam abordar algumas disciplinas mais específicas, tais como: a Gestão de Programas e Projetos no Setor Público, Finanças e Orçamento Público, Formulação e Avaliação de Políticas Públicas e Gestão de Contas Públicas, Estratégia e Planejamento no Setor Público, entre outras.
Esclarece-se que os Programas e Projetos no Setor Público apresentam muitas diferenças em relação aos projetos privados, tais como a Lei 8.666 (Licitações), a viabilização de políticas governamentais e outras características bastante específicas.
A avaliação de Políticas Públicas é fundamental para que os atos administrativos sejam consonantes e propiciem seu alcance. Outro aspecto diz respeito à correta formulação de políticas, que considerem aspectos sociais, políticos e de infraestrutura, permitindo que estas sejam concretizáveis e viabilizadas por programas, projetos e atos administrativos.
O Orçamento Público apresenta aspectos bem distintos da realidade privada, pois leva em conta aspectos na busca da melhoria contínua da eficiência dos órgãos públicos e precisam estar adequadas ao alcance dos resultados definidos nos planejamentos públicos de longo prazo.
O processo de planejamento no setor público exige alinhamento aos demais planos e políticas governamentais, bem como orquestrar a contribuição de diferentes órgãos públicos na consecução dos grandes objetivos definidos no longo prazo. Para tanto, se faz necessário reconhecer as especificidades de cada entidade a fim de formular os planos e, sobretudo, conseguir que estes sejam implementados de forma eficiente.
Há a percepção de que o Brasil carece de cursos de pós-graduação, tais como o MPA Master of Public Administration, que busquem abordar adequadamente a nova realidade pública. Uma iniciativa pioneira nesse sentido é o MPA que o Ibmec Brasília estará lançando em setembro de 2013, o qual foi construído nos moldes dos melhores cursos internacionais e contará com professores mestres e doutores que possuem real vivência na esfera pública.

 

Última atualização em Ter, 18 de Junho de 2013 21:00
 

S5 Box

pesquisa

Redes Sociais

twitter      fb